Espetáculos



“CAFÉ PEQUENO DA SILVA E PSIU” 

“CAFÉ PEQUENO DA SILVA E PSIU” é um espetáculo de circo-teatro de rua do repertório do GRUPO OFF-SINA, estrelado pelo palhaço mais bonito do Brasil.

Café Pequeno é um palhaço que representa o cidadão comum, que enfrenta os problemas do cotidiano a sua maneira e acaba criando situações caóticas, tentando resolvê-las com uma enorme persistência e bom-humor. 

Café Pequeno chega no circo “Pinico sem Tampa” - um circo sem lona - cantando a sua música, com a sua inseparável vassoura. O “apresuntador” não apareceu e o palhaço tem que realizar o espetáculo sozinho. Sem saber o que fazer, resolve varrer o picadeiro e ensaiar o público, através de placas onde se pode ler: aplausos, gritos, gargalhadas, silêncio e finalmente, bom espetáculo. 

Tentando solucionar a ausência do "apresuntador" que é o seu avô, Café Pequeno acaba encontrando um menino do público com a "cara do seu avô", o "tamanho do seu avô" e o "cheirinho do véio". Um pequeno ensaio e pronto: O espetáculo vai começar!!!

Cheio de habilidades, o palhaço apresenta números de malabares, mágica, marionete, música e poesia. E com muito charme e elegância conquista uma namorada!
 
Gênero: Circo-Teatro de Rua
Duração: 60 minutos
Classificação Etária: Livre



"A BORRALHONA"



A BORRALHONA é um espetáculo de circo-teatro de rua que proporciona uma reflexão sobre a importância do papel feminino na arte do riso, através do olhar da palhaça Currupita e torna evidente a força da comicidade feminina, desabrochada num corpo frágil, delicado, regido pela sutileza da graça. 

Nesta montagem, a palhaça Currupita na pele da bela e passiva Gata Borralhona não contribue para reforçar o estereótipo da beleza inocente, vítima da malvadez criminosa. Pelo contrário, Currupita mostra o lado ativo, explosivo e determinante de uma mulher à procura da sua alma gêmea.

O espetáculo pretende através da arte do riso, da alegria, da vivacidade, da pureza e da ingenuidade, revelar os segredos da alma feminina.


Inspirada na ópera “La Cenerentola”, um melodrama cômico de Gioacchino Rossini, no clássico “A Gata Borralheira” de Charles Perrault e no conto popular “O Santo Casamenteiro”, autor desconhecido.



A borralhona Currupita vive lavando, passando e cozinhando, uma perfeita “Gata Borralheira” dos tempos modernos. Está doidinha pra casar. Por isso, anda sempre em dia com toda a “santaria”. Mas parece que o santo casamenteiro não ouve os apelos de Currupita. Numa manhã, em que acordou desesperada com a própria solterice, cansada de esperar, ela desperta de sua passividade feminina para conquistar o “príncipe encantado”.

Gênero: Circo-teatro de rua
Duração: 45 minutos
Classificação Etária: Livre
"E O PALHAÇO O QUE É?"


O Circo Pinico sem Tampa chega na cidade trazendo o casal de palhaços Café Pequeno e Currupita para apresentar um espetáculo repleto de reprises tradicionais dos palhaços de picadeiro, resgatas através da tradição oral circense. 

Embalados pelo poema Para quem não sabe de Morgana Massetti, os palhaços iniciam o espetáculo e apresentam os números do Maestro e o Guarda, Palhaço Apaixonado, O Cinegrafista, Os Banquinhos e As Lavadeiras. 

No final, uma singela homenagem ao grande palhaço Arrelia.


Gênero: Circo-teatro de rua

Duração: 60 minutos
Classificação Etária: Livre